Teoria – Campo Harmônico

Vamos montar os acordes das notas naturais, ou seja, a sequencia de acordes Dó, Ré, Mi, Fá… Alguns serão maiores, outros menores, depende do intervalo de terça.

O assunto Campo Harmônico faz uso do conhecimento dos intervalos e graus da escala, que já vimos em capítulo anterior da teoria musical. O domínio do campo harmônico possibilita tirar as canções de ouvido, possibilita também a você começar a compor suas próprias canções ou harmonizar melodias, e ainda mudar o tom das musicas que você gosta, para que fiquem mais confortáveis ao cantá-las.

A montagem de um acorde natural segue a regra: 1 3 5. Significa que você vai pegar uma nota + a sua terça + a sua quinta.

Por exemplo: Dó. Para formar o acorde de Dó nós pegaremos a nota Dó + Mi(terça de Dó) + Sol(Quinta de Dó). Para formar o acorde de Ré nós pegaremos a nota Ré + Fá(terça de Ré) + Lá(quinta de Ré). Para formar o acorde de Mi pegaremos a nota Mi + Sol + Si.

Por isso é importante termos praticado aquele exercício da aula de graus e intervalos, o círculo das terças. Vamos recapitular a sequencia do ciclo das terças:

DÓ -> MI -> SOL -> SI -> RÉ -> FÁ -> LÁ -> DÓ…

De posse da informação acima, fica muito fácil a montagem da sequencia de acordes da escala natural. Veja o quadro abaixo:

ACORDE CIFRA NOTAS 1, 3, 5 CARACTERISTICA
Dó Maior C Dó, Mi, Sol Terça Maior, Quinta Justa
Ré Menor Dm Ré, Fá, Lá Terça Menor, Quinta Justa
Mi Menor Em Mi, Sol, Si Terça Menor, Quinta Justa
Fá Maior F Fá, Lá, Dó Terça Maior, Quinta Justa
Sol Maior G Sol, Si, Ré Terça Maior, Quinta Justa
Lá Menor Am Lá, Dó, Mi Terça Menor, Quinta Justa
Si Diminuto Siº Si, Ré, Fá Terça Menor, Quinta Diminuta

Ou seja, acordes maiores nos graus I, IV e V, e os demais (II, III, VI) todos menores a exceção do grau VII, que forma um acorde diminuto porque tem terça menor + quinta diminuta, resultando no acorde Bº. No violão, fica melhor utilizar no lugar de Bº o acorde Bø (Si meio diminuto), onde se acrescenta a nota lá no acorde, conforme veremos mais abaixo.

Muito importante observar o seguinte: o violão não possui as notas em sequencia como o teclado, por isso são necessárias adaptações para montagem dos acordes. Isso significa dizer que nem sempre encontraremos as notas perfeitamente na sequencia 1 3 5. Não tem problema. O acorde poderá ser formado com 1 5 1 3 ou 1 5 1 3 5 1. As notas podem se repetir a vontade. Por exemplo o acorde de Dó vai ficar 1 3 5 1 3 e acorde Dó com pestana na terceira casa da quinta corda ficará 1 5 1 3 5 (dó, sol, dó, mi, sol). O Ré menor vai ficar 1 5 1 3 (ré, lá, ré, fá). O Lá menor montado na corda 5 solta fica 1 5 1 3 5 (lá, mi, lá, dó, mi).

A única nota que não poderemos mexer será o 1 inicial, pois trocá-lo pelo 3 ou 5 resultaria numa inversão de acorde, assunto que abordarei mais adiante em tópico específico.

Vamos então praticar a sequencia de acordes. Leia-os na tablatura abaixo. Vamos tocar a sequencia:

  • C | Dm | Em | F | G | Am | Bø | C |

E a sequencia inversa:

  • C | Bø | Am | G | F | Em | Dm | C |
  C   Dm  Em  F   G   Am  Bø  

--0---1---0---1---1---0-------
--1---3---0---1---0---1---3---
--0---2---0---2---0---2---2---
--2---0---2---3---0---2---3---
--3-------2---3---2---0---2---
----------0---1---3-----------


O campo harmônico que acabamos de montar gera um modelo, da mesma forma que a escala diatônica gerou o modelo T T ST T T T ST, já estudado antes.

O nosso modelo de campo harmônico, em graus, será, então:

I  IIm  IIIm  IV  V  VIm  VIIº  

Ou seja:

  • Acorde do Grau I -> acorde maior -> I
  • Acorde do Grau II -> acorde menor -> IIm
  • Acorde do Grau III -> acorde menor -> IIIm
  • Acorde do Grau IV -> acorde maior -> IV
  • Acorde do Grau V -> acorde maior -> V
  • Acorde do Grau VI -> acorde menor -> VIm
  • Acorde do Grau VII -> acorde diminuto -> Bº

UTILIZANDO EM OUTROS TONS

Já sabemos que existem os acidentes #(sustenido) e b(bemol) nos outros tons. Os sinais # e b são necessários para adequar o modelo diatônico T T ST T T T ST, conforme vimos na aula sustenidos e bemóis e também em graus e intervalos. Vamos agora montar o campo harmônico de todos os outros tons que conhecemos: G, D, A, E, B, F, Bb, Eb. Basta respeitar duas regras: os sustenidos e bemóis e o modelo de acordes do campo harmônico de Dó Maior, ou seja, acordes maiores e menores nos graus determinados: I IIm IIIm IV V VIm VIIº.

Segue o quadro resumo das sequencias de acordes ou campo harmônico dos tons mais utilizados:

TOM ACIDENTES NA ESCALA ACORDES DO CAMPO HARMÔNICO
G Fá# G | Am | Bm | C | D | Em | F#º
D Fá# Dó# D | Em | F#m | G | A | Bm | C#º
A Fá# Dó# Sol# A | Bm | C#m | D | E | F#m | G#º
E Fá# Dó# Sol# Ré# E | F#m | G#m | A | B | C#m | D#º
B Fá# Dó# Sol# Ré# Lá# B | C#m | D#m | E | F# | G#m | A#º
F Sib F | Gm | Am | Bb | C | Dm | Eº
Bb Sib Eb Bb | Cm | Dm | Eb | F | Gm | Aº
Eb Sib Eb Ab Eb | Fm | Gm | Ab | Bb | Cm | Dº

DISSONÂNCIA DE SÉTIMA NO ACORDE V

Teremos um módulo especial para falar de dissonâncias nos acordes mais à frente. Porém, não posso deixar de acrescentar uma informação básica aqui neste módulo.

O acorde de V grau poderá, sempre que a função dele for resolver o trecho musical no grau I, conhecido como “cadência Dominante/Tônica”, receber a dissonância de sétima.

Já vimos isso nas cantigas de dois acordes, que usam esta cadência, você de estar lembrado, foram exemplos de A7->Ré.

A montagem do acorde de sétima segue a seguinte fórmula: 1 3 5 7. Assim, o acorde G7, que é o quinto grau do campo harmônico de Dó, será formado pelas notas: Sol, Si, Ré, Fá.

Com esta nova informação, nosso modelo de campo harmônico poderá ficar assim:

I IIm IIIm IV V7 VIm VIIº

Pratique a sequencia | I -> V7 | V7 -> I |, que é a sequencia mais básica em música popular. Siga o quadro abaixo, para tocá-la nos tons mais utilizados:

TOM SEQUENCIA | I | V7 | V7 | I |
C C | G7 | G7 | C
G G | D7 | D7 | G
D D | A7 | A7 | D
A A | E7 | E7 | A
E E | B7 | B7 | E
B B | F#7 | F#7 | B
F F | C7 | C7 | F
Bb Bb | F7 | F7 | Bb
Eb Eb | Bb7 | Bb7 | Eb

Com a informação acima, você já pode tocar todas as cantigas infantis em todos os tons disponíveis. Basta para isso substituir os acordes I e V7 nas de dois acordes e I IV e V7 nas cantigas de três acordes. As cantigas estão todas em Ré. Transpor para outros tons é um excelente exercicio para praticar o campo harmônico. Observe que a melodia também terá que acompanhar a mudança de tonalidade. Se a melodia começa na terça do acorde Ré, no caso a nota Fá#, então você deverá mudar e começar na terça do acorde de tônica da nova tonalidade que você escolher.

36 comentarios

Ferreira

Meu amigo sempre quis aprender a tocar violão/guitarra porém sempre me esbarrei em escalas por não encontrar um material tão rico como este seu, parabéns e meus agradecimentos por ter esta humildade de postar algo tão valioso sem pedir nada em troca, que Deus o abençoe . Já tive n violões kkk… mas abandonei por não sair das cifras decoradas, mas agora vou poder expandir meu conhecimento…comprarei outro violão kkk, UM FORTE ABRAÇO.

Danilo

Bom dia Zedobelo a 23 anos eu trabalho com música e a 10 anos cantando qualquer coisa vc deve muitas coisas sobre mim na YouTube (Chiclete Ferreira) sei que é estranho mas aqui em Salvador Bahia eu já sou conhecido canto pagode baiano conhecido como (SWINGUEIRA) e gostaria de tocar violão ou guitarra sem aquele constrangimentos de para em uma música fácil por não conhecer ou talvez me confundir por demais no sentido CAMPO HARMÔNICO porisso venho na humildade não te pedir ensinamento mas me dar uma sequência em questão,que eu possa em passo a passo completar o entendimento desse que parece um bicho de 7 cabeças pra mim,mas eu já arranho no violão guitarra cavaquinho muitas coisas como percussão mas sempre fui apaixonado pela HARMONIA MUSICAL e mesmo sem muito conhecimento sempre fiz minhas próprias autorias e vivo delas a anos pois gosto de fazer letras com bastante sentimento não sou fã daqueles quadrado de G7 ou outros já manjado de sim quero a magia dos acordes do jogo de regras que elas seguem,mas em fim quando eu digo UM SEQUÊNCIA não de notas ou acordes mas sim DE ESTUDOS pra que eu possa concluir em partes esse talvez bicho de 7 cabeças conhecido por CAMPO HARMÔNICO,ex::o que eu tenho que estudar primeiro?e depois que compreender parto pra qual estudo,e depois…….?Espero que tenha entendido pois o que eu quero é fazer por etapa mas nada que me tome o tempo todo e sim que seja como esse seu blog ATRATIVO E INTERESSANTE pra sempre eu ta querendo buscar mas pois tem essa fase chata que pensamos em DESISTIR DE APRENDER,então estou aqui na humildade mandando quase UMA BÍBLIA mas a intenção não é jamais tomar seu tempo Zedobelo sim que vc transforme toda essa vontade em ABILIDADES pois força de vontade eu tenho e sentir que vc GOSTA DO QUE FAZ então como eu AMO a MÚSICA eu estou aqui te pedindo essa ajuda e mesmo se tiver que ser papo pra se aprofundar como eu quero tenha certeza que PAGAREI COM SATISFAÇÃO!Em fim espero que possa me ajudar um forte abraço e que Jesus te ilumine e que sua humildade reflita em se próprio em SAÚDES e PROSPERIDADE! Qualquer coisa responde lá pra meu e-mail que trocamos zap etc o que for preciso pra eu finalizar essa linha de raciocínio do CAMPO HARMÔNICO!Abracos é bom dia fica com Deus vc é todos alunos e interessados na música.

    ZeDoBelo

    Oi Danilo, de fato a força de vontade para aprender é tudo o que realmente precisa. Não tem mistério. Não tem magia. É uma matemática. É um encadeamento lógico. A sequencia de estudos que recomendo é a seguinte, os conceitos a serem dominados, nessa ordem, que não difere da ordem como eu os coloco no site, mas não se pode atacar este conteúdo sem antes saber o nome de todas as notas em cada corda e casa, pelo menos até a quinta casa do violão, ok?

    1. A escala diatônica – é preciso compreender a forma desta escala, os intervalos T T ST T T T ST, que estão divididos em dois tetracordes (agrupamentos de quatro notas em sequencia: dó+ré+mi+fá, tetracorde 1, e sol+lá+si+dó, tetracorde 2). Os dois tetracordes são iguais: T T ST. O que une os dois tetracordes é uma distância de 1 tom, fá -> sol. Onde T = Tom (distancia de duas casas no violão, por exemplo, casa 1 até casa 3, na corda 6 fica fá -> sol, isto é uma distancia de 1 Tom inteiro), e ST = semitom (distancia de uma casa no violão, por exemplo na corda 5, casa 2 até casa 3, notas si -> dó).
    2. Os intervalos – no que se refere ao entendimento do campo harmônico, os intervalos mais importantes são a terça e a quinta (em todos os acordes), e a sétima (no acorde de dominante, o dominante é o quinto grau, a quinta nota da escala, no caso de Dó, o dominante é o Sol, este acorde vai usar a sétima, passando este acorde a se chamar sétima de dominante). Então comece colocando as notas no papel, dó ré mi fá sol lá si dó. Em seguida, coloque as terças acima de cada uma: terça de dó = mi, terça de ré = fá, terça de mi = sol, terça de fá = lá, terça de sol = si, terça de lá = dó, terça de si = ré (oitava acima). Proximo passo observar quais destas distâncias de tônica (primeira nota) e terça são maiores e quais são menores, e aqui você já tem o campo harmômico quase resolvido, pois já saberá quais acordes são maiores e quais são menores.
    3. Temperamento da escala – Isso se refere a colocar sustenidos e bemóis de forma a obter escalas exatamente iguais ao modelo de Dó: T T ST T T T ST, que foi construído pelas notas naturais do+ré+mi+fa+sol+la+si+do. Se eu construir uma escala de sol a sol vai ficar: sol la si do re mi fa sol. Esta escala de sol terá os mesmos intervalos da escala modelo Dó? Evidente que não, porque os semitons estão em locais diferentes, enquanto que na escala de Dó os semitons estão entre a terceira e quarta nota, e entre a sétima e oitava nota, diferente disso, nessa montagem de Sol que escrevi, o primeiro semitom está ok, entre a terceira e quarta nota (si e dó), mas o segundo semitom encontra-se entre a sexta e sétima nota a partir de Sol (Mi e Fá estão na sexta e sétima posição), quando deveria estar entre a sétima e oitava posição, Fá e Sol. Justamente aí colocamos um sustenido para que o Fá se aproxime de Sol e o semitom fique localizado entre a sétima e oitava notas, característica do modelo de Dó, que precisará ser mantido em todas as escalas construídas. Após “corrigidas” as distancias se poderá montar o campo harmônico do mesmo jeito que expus em Dó, as terças, as quintas e a sétima de dominante. Isso tudo serve para você tocar a mesma música em outro tom. Por mais que o cifraclub tenha sistema que faz isso automático, é bom saber como as coisas são construídas em música.
    4. Isso é o básico. Tem muito mais coisa que se pode aferir após dominar este básico, principalmente a matéria que fala de substituições de acordes, e também os modos de escalas, que em combinação com campos harmônicos geram muita riqueza e sabedoria na hora de harmonizar uma canção ou criar melodias.
      Grande abraço, qualquer coisa estamos à disposição, Danilo, boa sorte!

MatheusB

Zé, eu sou novo aki no site, mas tenho me dedicado muito à ele.
Estou compondo uma musica em D, mas nenhum acorde menor se encaixa na melodia..
me ajude ai por favor. obrigado

    ZeDoBelo

    Oi Matheus, os acordes menores do Tom D são os seguintes: Em, F#m, Bm, sendo que você pode usar também acordes substitutos, por exemplo Am e Gm.

    ZeDoBelo

    Amigo, depende, no caso o Sungha Jung, ele é um músico arranjador. No mínimo, você vai ter que saber ler partitura para tocar qualquer coisa parecida com o que ele faz. Pois esse tipo de música os compositores escrevem em partitura, não é um improviso apenas. Caso você seja um completo iniciante, comece pelo básico que tem aqui no site e depois vai se aprofundando. Boa sorte!

Marcio Lisboa

Zé,

Gostaria de tirar uma dúvida de várias que tenho rsrsrr?
Sobre a tablatura?
eu sei ler e entendo as técnicas utilizadas para os efeitos. Porém, na tablatura vem as cifras em cima.
O que significa quando vem as cifras em cima indicando uma determinada casa?
Se tiver algum material sobre tablatura e puder enviar, segue meu email. contatomarcioufpb@gmail.com

Obrigado,

Marcio Lisboa
J. Pessoa/PB

    ZeDoBelo

    Oi Marcio, não obrigatoriamente a tablatura deverá vir com cifra em cima, pois a TAB dá conta de tudo sozinha, sendo desnecessárias as cifras estarem junto, mas quando vêm é apenas para facilitar o entendimento na hora da leitura. Eu recomendo a você passar para o aprendizado da partitura, pois não vale muito a pena investir tanto assim em tablaturas, sendo o material de TAB que está no site, no item 03, TABS de 01 a 42, são mais que suficientes. A gente sempre deve avançar, e acredito que sua fase atual é de iniciar com a partitura. Inclusive pretendo publicar em breve exercícios de partituras para violão. Um abraço e boa sorte!

Marcio Lisboa

Boa tarde,
Lembro que quando eu iniciei meus estudos de violão, iniciei neste site, foi aonde tudo começou de uma forma bem didática. O mais interessante, são as dificuldades que surgiram e surgem quando se quer aprender a tocar violão. Dedos doem, punhos esquentam, paciência falta, enfim, aparece um monte de obstáculo fazendo com que a pessoa desista. Já se passaram 3 anos e hoje toco algumas musicas, lendo e acompanhando as cifras. Sei que isso é um erro, mas sei que estou nessa sozinho sem nenhum acompanhamento de um profissional. Ser autodidata é dificil, porque surgem muitas dúvidas. Todas as pessoas me diziam, “… a é muito fácil tocar violão..”, gente não caia nessa, É DIFICIL PRA CARAMBA, SOFRI MUITO, PARA COORDENAR AS BATIDAS E FAZER OS ACORDES… RSRSRSRS
Agradeço ao criador do site Zé do Belo, pela gentileza de disposição de ajudar a todas as pessoas que querem aprender a tocar violão. Não toco muito, mas estou satisfeito pela minha dedicação e hoje colho os frutos do meu esforço..

Parabéns…..

    ZeDoBelo

    Oi Marcio, de fato é um instrumento difícil de aprender, precisa muita persistência, parabéns por sua luta e obrigado pelos elogios, amigo, um abraço!

    GEORGE BRUNNO SILVA

    Parabenizo o site Zé do Belo também , por ter iniciado há 3 anos aprendendo também com tudo que o site repassa e estou sempre querendo mais.. tô lendo e sempre buscando melhorar

    Marcio Lisboa

    Veronica é normal os dedos doerem. Os meus doíam muito e sempre dava paradinha e colocava gelo. O meu violão tinha cordas de nylon e mudei para aço, achei mais confortável, mas cada pessoa procura uma forma de adaptar o instrumento, por exemplo sou canhoto e tive que inverter as cordas. Nunca pare, persista, insista, nunca desista ok… bons estudos..

jean carlos da silva

muito bom tirei duvidas sobre uns acordes,obrigado pelas explicações
tava um pouco perdido neste assunto Deus abençoe!…

Claudeci Araújo Sodré

Parabéns pelo conteúdo postado.Estou aprendendo muito.Com o que aprendi já vou poder tirar dúvidas de muita gente. Valeu que Deus te ilumine a cada dia, a cada instante.

antonio

PARABENS, CONSEGUI DESCOBRIR O PORQUE DOS ACORDES MAIORES,MENORES AUMENTADOS E DIMINUTOS COISA QUE JA VENHO LENDO HA MUIT E NINGUEM FOI TA CLARO COMO VOCES. PARABENS!

Comente

  • *preenchimento obrigatorio