Aula 3 – Acorde sol maior e exercício

Vamos testar a afinação do instrumento. Siga os passos:

A corda6 pressionada na casa5 deve ter o mesmo som da corda5 solta;

A corda5 pressionada na casa5 deve ter o mesmo som da corda4 solta;

A corda4 pressionada na casa5 deve ter o mesmo som da corda3 solta:

A corda3 pressionada na casa4 deve ter o mesmo som da corda2 solta;

A corda2 pressionada na casa5 deve ter o mesmo som da corda1 solta.

As cordas 6 e 1 soltas devem ter o mesmo som, pois as duas são MI, mesmo que a 6ª bem grave e a 1ª bem aguda, a nota é a mesma.

Como exercícios de aquecimento, você pode sempre começar a aula repetindo os exercícios 1 e 2 da primeira aula.

ACORDE DE SOL MAIOR (G)

Veja na tab abaixo como fazer o acorde. Dedo2 casa3 corda6; dedo1 casa2 corda5; dedo3 casa3 corda1. Não é um acorde muito fácil de fazer. Com treino você conseguirá. Com o polegar toque as cordas uma-a-uma. Não esqueça que as cordas são pressionadas com a ponta dos dedos. Quando sentir dor é hora de descansar um pouco.

—3————————————-3—– (dedo3)
—0———————————0———
—0—————————-0————–
—0———————-0——————–
—2—————2————————— (dedo1)
—3———-3——————————– (dedo2)


EXERCICIO 3

Agora, vamos tocar três acordes conhecidos em sequência. Não esqueça, os dedos da mão esquerda devem chegar simultaneamente para pressionar as cordas e sempre com a ponta dos dedos. Evite ficar catando as casas e cordas com um dedo de cada vez. Siga as cifras abaixo:

Não se preocupe ainda com ritmo. Apenas passe o polegar pelas cordas e tire um som limpo.


CANTIGAS DE 3 ACORDES PARA PRATICAR

Nada como as cantigas simples, conhecidas por todos, para acelerar o nosso aprendizado de violão.

Continue tocando com o polegar pra baixo nas cordas.

Lembre-se do seguinte:

  • acorde D: não pode tocar nas cordas 5 e 6
  • acorde A7: não pode tocar na corda 6
  • acorde G: deve tocar em todas as cordas.

Outra clássica que todos conhecem.

Outra cantiga interessante, cuja estrutura é muito parecida com centenas canções populares: Peixe Vivo.

Com essas três cantigas se pode ter uma base de como funciona o encadeamento dos acordes D, G e A7. Deve-se observar que todas estas cantigas começam e terminam pelo acorde D. Isso ocorre porque as canções estão no tom D (Ré Maior).

O acorde A7 oferece tensão à harmonia. Esta tensão é resolvida no acorde D.

Já o acorde G, por sua vez, oferece à harmonia o que se chama de modulação, recurso que nos ajuda a deslocar a melodia por outro caminho e criar uma segunda parte na canção.

Agora, eu pergunto, porque será que milhares de canções de sucesso compõem-se apenas destes três acordes?

A resposta é que estes três acordes juntos contém todas as notas da escala maior: o acorde D é formado por [ré, fá, lá], o G é formado por [sol, si, ré] e o A7 formado por [lá, dó, mi, sol]. Então aqui temos dó, ré, mi, fá, sol, lá e si, que são as 7 notas necessárias ao compositor.

É por este motivo que muitos artistas não precisam mais do que estes três acordes para compor centenas de músicas de sucesso, simples e geniais, que atravessam gerações.

Até a próxima aula!

44 comentarios

Maximino Faria Barbeito

bom dia, eu queria fazer uma pergunta, quando alguem que canta diz por exemplo, dá um do ai, isso significa que preciso tocar todas as notas de do? e qual seria elas, e tambem as outras notas né, me perco nisso, e tambem saber que nota o fulano está cantando, ou eu devo cantar e tocar..ooooo sofrencia ajuda ai…abraços max

    Zé do Bêlo

    Olá, Maximino, o cantor está pedindo o campo harmônico de Dó, que começa com o acorde Dó Maior (C). O campo harmônico completo será formado pelos acordes: C Dm Em F G7 Am Bdim (ou seja, dó ré mi fá sol lá si, alguns são menores e outros maiores). Sendo que o B diminuto quase não é usado. A melodia provavelmente iniciará com alguma nota que esteja dentro do acorde C (dó, mi ou sol). Então, na medida que a melodia avança você tem que perceber as mudanças e trocar o acorde de maneira que faça algum sentido harmônico e melódico, usando os acordes do campo harmônico, que citei acima. A harmonia ela “caminha” para se tensionar, ou seja, ela procura acordes que não contenham as notas que o acorde inicial já contém, isso é que gera a tensão. Naturalmente, ela caminhará para o G7 (Sol com sétima, que tem dentro dele as notas Sol, Si, Ré, Fá), veja que com estes dois acordes, C e G7, temos todas as 7 notas da escala. A função harmônica do G7 é resolver o tensionamento, devolvendo a harmonia para o acorde C original. Mas a melodia pode tomar outros rumos antes de tensionar em G7. Quando a melodia toma outros rumos, tem sequencias clichês que costumam funcionar, por exemplo: [C Dm G7 C] ou [C Am F G7], repetindo sempre. E variações, por exemplo: [C G Am F], [F C G Am], [Am F C G], você toca isso e percebe que já ouviu antes em algum lugar. Em poucas palavras, seria isso, amigo, claro que tem muito mais nuances, detalhes, truques, maneiras de fazer a harmonia enriquecer e soar diferente do lugar comum. Caso deseje aprofundar mais o conhecimento, ofereço aulas via skype! Um abraço e boa sorte!

    Zé do Bêlo

    Ola Raimundo, tecnicamente o compasso responde pela contagem do tempo. Tem compassos de 2 tempos (binário), de quatro tempos (quaternário), etc… É uma unidade onde se insere a escrita musical dentro da contagem, é uma célula, é um elemento da partitura musical. O ritmo será escrito dentro do compasso, por exemplo, o compositor escreve um bumbo no tempo 1, uma caixa no tempo 2, um prato de condução constante em todos os tempos do compasso, é um exemplo simples. Um trecho de música completo normalmente tem entre 8 e 16 compassos, um refrão normalmente tem 4 a 8 compassos, isso faz com que a música tenha uma métrica padronizada. Então, no espaço de 8 compassos, por exemplo, você elabora uma melodia, escreve ela na partitura, elabora o ritmo da bateria, escreve na partitura, elabora a linha do contrabaixo, escreve na partitura, e vai arranjando a música. Quando se vai programar uma bateria eletrônica, por exemplo, tem que trabalhar nessa lógica de compassos. Tem ainda o conceito de andamento, que é a velocidade da música em batidas por minuto. O pessoal confunde andamento, compasso e ritmo, que são três coisas diferentes, compasso está na partitura, andamento está no metrônomo e o ritmo é um atributo da criação musical. Os ritmos também são padronizados, por exemplo, o ritmo de samba tem uma batida de surdo forte no tempo 2, se você coloca o surdo batendo no tempo 1, o ritmo soa estranho, nada a ver com samba, a letra não encaixa, e tudo fica atravessado. O ritmo pode ser visto como um conjunto de elementos que reforçam o balanço da música, o rock por exemplo, é bumbo no tempo 1, caixa no tempo 2, se você não usa essa configuração fica fora do padrão, e não funcionará com a maioria dos rocks que tem por aí. Se você toca uma música de Luiz Gonzaga, vai ter que usar a célula rítmica do baião, senão vai ficar difícil cantar a música, porque estará fora do ritmo que foi criada, que é bumbo na cabeça do tempo 1, bumbo na ultima semi-colcheia do tempo 1, e bumbo na segunda colcheia do tempo 2, todo baião que você encontrar por aí vai ter essa característica rítmica. O reggae é bumbo no tempo 1 e caixa no tempo 3, com a guitarra estalando nos tempos 2 e 4, etc… se não fizer assim não é reggae, entende, fica fora do ritmo.

JOSE MAIA SOARES

Gostei de suas aulas e comprei o seu DVD. Gostaria de aprender a tocar as músicas ÍNDIA (Guarânea) e “Se esta rua fosse minha” na forma harmoniosa de dedilhado e base. Vc pode me ajudar?

    ZeDoBelo

    Sim, José, tem que começar ÍNDIA com um ritmo mais simplificado, o ritmo de valsa, depois que tiver bem seguro com este, passa para a guarânia, que é o mesmo ritmo só que dobrado, e na Se Essa Rua Fosse Minha você usa o dedilhado de marcha.

    JOSE MAIA SOARES

    Desculpe, eu me expressei errado quando disse dedilhado e base.
    corrigindo: Solo acompanhado de Dedilhado ao mesmo tempo. Já sei solar a música, mas como colocar um dedilhado a esse solo?

      ZeDoBelo

      Oi José, nesse caso tem que dominar técnicas avançadas, por exemplo, chord melody, que os jazzistas usam direto. Tem um livro muito bom sobre este assunto, Harmonia Aplicada Ao Violao E a Guitarra, de Nelson Faria. Mas encontra muito material na web com uma simples busca pelo termo chord melody. Boa sorte!

    ZeDoBelo

    oi Cássio, de fato é preciso manter o violão afinado, sugiro que vc adquira um afinador eletrônico, que custa barato e vai ajudar muito no seu aprendizado. Boa sorte!

    Bruno

    Cássio, o cifraclub disponibilizou um app (iOS, não sei se tem android) que serve de afinador. Estou aprendendo a tocar e tem me ajudado bastante!

Raimundo de Sena Santos

Zé, na pergunta anterior eu realmente não fui bem claro. é o seguinte: por exemplo: uma pessoa canta uma música qualquer, e quem vai acompanhá-la, ao violão, precisa saber qual é TOM da voz dessa pessoa para execução da música.

    Zé do Bêlo

    Raimundo, normalmente o cantor avisa em que tom vai cantar, por exemplo “Dó Maior”, então o musico faz um acorde C (Dó Maior) e o cantor começa: se o músico já conhece a canção ele já sabe quais serão os próximos acordes, não importa o tom que o cantor escolheu, pois basta fazer de cabeça a transposição dos acordes, utilizando o esquema de campos harmonicos. Ou seja, uma música que originalmente está em Ré, poderá ser transformada para qualquer tom que o cantor quiser. Por outro lado, se o músico não conhece a canção, ele vai ter que ir ouvindo a melodia e harmonizando com acordes as notas da melodia, cuja escala ele sabe que está em Dó Maior, pois o cantor avisou. A melodia é que “puxa” os acordes de acompanhamento. Quem tem ouvido bem treinado, consegue colocar os acordes na medida que o cantor vai cantando, fazendo funcionar um arranjo harmonico simples, inclusive usando os clichês harmonicos. Estes assuntos eu abordo na parte de teoria musical, aqui no site. Espero ter ajudado, qualquer dúvida estamos aí, abraços.

Raimundo de Sena Santos

Zé, qual é a técnica de se saber, ou melhor, como que eu sei que uma voz é ou está em Ré maior, la maior etc. com os acordes do violão?

    Zé do Bêlo

    Raimundo, isso consigo explicar melhor se vc der um exemplo concreto… mas a principio é uma coisa fácil se vc tem os acordes da música, basta compara-los ao campo harmônico. Além disso, as músicas populares tem estruturas comuns, os chamados clichês harmonicos, conhece-los tambem facilita muito. Mas em regra geral o acorde que inicia e termina a música é o que dá o tom dela.

ANTONIO TEIXEIRA DE LIMA

CARA EU ADOREI O DVD,ESTOU TREINANDO AGORA COM O METRONOMO E O DVD.
ESTOU CADA VEZ MAIS MELHOR, O DVD É MASSA. OBRIGADO POR TUDO,
FICA COM DEUS.

Luis henrique

Zé, no acorde de Sol Maior (G), vc ensina desse jeito: Dedo2 casa3 corda6; dedo1 casa2 corda5; dedo3 casa3 corda1. Só que em outras musicas e vídeo-aulas eu reparei que esse acorde é feito desse jeito: Dedo2 casa3 corda6;dedo1 casa2 corda5;dedo3 casa 3 corda2 e dedo4 casa3 corda1. É a mema coisa? Existe uma diferença? E qual eu devo fazer para que eu possa seguir em frente??

    admin

    Oi Luis, tem varias maneiras de se montar um acorde, como você irá aprender mais tarde caso queria seguir pelas aulas de teoria musical que postei. O acorde Sol, pode-se fazer das duas maneiras que tu diz. As duas estão corretas. A diferença está no som da corda 2, da primeira forma o acorde conterá a nota Si, e da outra forma conterá a nota Ré. Tanto Si como o Ré fazem parte do acorde de Sol. A escolha de qual dos dois acordes fica melhor na música, portanto, é sua. Boa sorte!

Brendon batista

Olá! Eu acho que estou indo bem nas aulas pois treino de 2 a 3 hs por dia, mais o problema é q dói bastante os dedos, será que tem um tipo de pomada que alivie a dor? É conselhavel treinar tanto assim?

    admin

    Brendon, 2 a 3h por dia é uma boa prática. A dor na ponta dos dedos é porque tá pressionando com muita força, procure aliviar a pressão um pouco. É normal doer até que crie calos na ponta dos dedos. Em dois ou três meses deve estar formando calosidade. Boa sorte!

ANTONIO T DE LIMA

OI ZÉ,A NOTA G É MEIO COMPLICADA MAS ESTOU TREINANDO.EU QUERIA SABER O TEMPO CERTO DA TROCA DOS ACORDES,ACHO QUE ESTOU RÁPIDO DE MAIS.

    admin

    Oi Antônio, nessa fase ainda não estamos contando tempo, apenas passe 4 vezes o polegar nas cordas e troque o acorde, se vc consegue isso rápido, então está pronto para as próximas aulas. Boa sorte!

ANTONIO T DE LIMA

OI ZÉ,EU TENHO UMA DIFICULDADE DE FAZER OS EXERCICIOS.
JÁ ESTOU NA 3ª AULA,SEM FAZER OS EXERCICIOS,EU QUERIA SABER
SE TEM ALGUM PROBLEMA,PORQUE O EU JÁ TREINO COM OS ACORDES.
OBRIGADO PELAS AULAS,FICA COM DEUS.

    admin

    blz, Antonio, sem problemas, se vc está conseguindo treinar com os acordes tudo bem, um abraço e boa sorte!

Guilherme Moreno

Zé eu comprei um violao de aço e estou indo em ateh agora, soh sinto o som bem diferente do video, creio pela diferença das cordas, mesmo tirando um som limpo ele sai diferente, eh normal ??? Obrigado 😀

Beibe Souza

Bernice Souza – 27 de janeiro de 2012

Oi, quanto tempo preciso tirar durante o dia para treinar essas aulas, ja que nao tenho muito tempo!!!

Beibe

Rosana Sampaio

Estou me empolgando a cada ´cantiga que consigo tocar. A dificulda de que tenho é de afinar o violão. por mais que eu ouça o afinador, parece que o som não sai o mesmo. Mas vou conseguir.

Rosana.

    admin

    Rosana, sugiro investir num afinador eletrônico, assim ganha tempo e qualidade no seu estudo. Boa sorte

micael

Não consigo trocar rápido e sem errar os acordes, é inevitavel ficar catando as cordas 🙁 Repito insistentemente os exercicios e melhoro muito pouco, o que eu faço?

    admin

    Micael, use o metrônomo, e vá acelerando aos poucos, começando em 60 e depois de muita pratica aumentando para 80, 90, 100, 120 etc… até que fique na velocidade que deseja. O violão se aprende com muita prática diária e disciplina. Os resultados vêm aos poucos, é assim mesmo que funciona. Boa sorte!

Comente

  • *preenchimento obrigatorio